Tipos

Família do shakuhachi

A palavra shakuhachi é utilizada para se referir a diferentes tipos de flautas, que floresceram e foram utilizadas em períodos e contextos específicos da história. A partir do momento em que se tornou necessário distingui-las umas das outras, alguns termos passaram a ser empregados junto à palavra shakuhachi. Os musicólogos, de forma geral, dividem sua família em cinco categorias: ①gagaku shakuhachi, ②tenpuku, ③hitoyogiri shakuhachi, ④fuke shakuhachi e ⑤ shakuhachi moderno. 

Se a história dessas flautas seguiu uma linha contínua, em que um protótipo mais antigo foi sendo remodelado e transformado em uma nova flauta ao longo do tempo; ou então, se essas flautas tiveram seu desenvolvimento e origem em contextos diferentes, tendo apenas o nome shakuhachi como fator em comum entre elas; esse tema ainda é um mistério, cuja solução desafia os pesquisadores japoneses. Em outras palavras, se essas flautas possuem alguma relação, quais seriam essas relações, etc. são perguntas que ainda não tem resposta definitiva. Em todo o caso, devido à sua semelhança morfológica, esses instrumentos são estudados na musicologia como sendo parte da família do shakuhachi.

Gagaku shakuhachi

Conhecido também como Shakuhachi Antigo ou Shōsōin Shakuhachi. Foi introduzido no Japão a partir da segunda metade do século VII até a segunda metade do Período Nara (710-794), juntamente com a música gagaku. A partir da segunda metade do século XII (Período Heian 794-1185) não há mais registros históricos ou documentos a seu respeito, sendo assim, considerado extinto.

Não se sabe ao certo qual era o tipo de música e sonoridade que produzia. Existem 9 exemplares originais preservados. 8 deles fazem parte da coleção de relíquias do repositório Shōsōin, localizado no Templo Tōdai-ji, e um deles foi preservado no Templo Hōryuji, ambos os templos localizados na antiga capital japonesa de Nara.

Fotos: Os exemplares acima fazem parte do Acervo do Shōsōin.

Características físicas: 6 furos (5 na frente, 1 atrás); 3 nós; comprimento entre 34,4 cm e 43,7 cm; material: madake, mármore, serpentinita, marfim.

Tenpuku

É uma flauta de bambu típica da região de Satsuma (atual Kagoshima), cuja tradição perdura desde a Idade Média. O tenpuku fez parte da educação aristocrática dos samurais de Satsuma até a Era Meiji (1868-1912), e atualmente sua tradição é mantida pela Associação Tenpuku de Kagoshima. Embora tenha sido transmitido oralmente sem sofrer interrupção, suas origens são desconhecidas. Existem algumas regras em sua tradição, como, por exemplo, o tocador deve fabricar seu próprio instrumento; não se pode vender ou realizar qualquer relação comercial com o tenpuku; não se pode tocar peças que não faça parte do seu repertório tradicional; e, deve-se preservá-lo sem alterar ou inovar sua tradição. Em 1990 o tenpuku passou a ser considerado como Patrimônio Cultural Imaterial de Kagoshima.

Características físicas: 5 furos (4 na frente e 1 atrás); 3 nós; cerca de 30 cm de comprimento; material: bambu kosandake.

Mais informações sobre o Tenpuku: 👉 Newsletter of the European Shakuhachi Society (Autumn/Winter 2021).

Hitoyogiri

Significa "um só nó", referindo-se à sua configuração nodal. Tornou-se muito popular a partir do final do século XVI até o século XVII, porém, sua tradição entrou em extinção e caiu em desuso no final do século XIX. Antes e durante o Período Edo (1603-1868) ganhou o apreço dos senhores feudais (Daimyō) e xoguns, como, por exemplo, Oda Nobunaga, Toyotomi Hideyoshi e Tokugawa Ieyasu. É provável que se originou do Gagaku shakuhachi, entretanto não há comprovação de tal fato. Atualmente existem pessoas buscando restaurar suas tradições e há fabricantes de shakuhachi que vendem também hitoyogiri.

Características físicas: 5 furos (4 na frente e 1 atrás); 1 nó; cerca de 34 cm de comprimento; material: bambú madake.

Fuke shakuhachi e o shakuhachi moderno

O Fuke shakuhachi também é conhecido como Komusō shakuhachi, por ter sido utilizado por monges e samurais Komusō da Seita Fuke como ferramenta religiosa, durante o Período Edo (1603-1868). Possui 5 furos para os dedos, assim como o tenpuku e o hitoyogiri. Entretanto, sua porção de baixo é fabricada a partir da raíz do bambu e seu corpo é bastante espesso. 

O shakuhachi moderno é um descendente direto do Fuke shakuhachi. Em outras palavras o shakuhachi moderno, amplamente utilizado em todo o mundo atualmente, surgiu a partir de modificações na fabricação do Fuke shakuhachi. A aparência externa de ambos é semelhante, porém, a localização do furos, aplicação de ji (tonoko+urushi) , detalhes acústicos, etc. diferem. 

O desenvolvimento do shakuhachi moderno ocorreu devido a vários fatores, tendo a influência da música ocidental um importante papel nesse processo. 

Características físicas: 5 furos (4 na frente e 1 atrás); 7 nós; cerca de 54,5 cm de comprimento, embora existem modelos de tamanhos maiores e menores, em todas as afinações; material: bambu madake.   

Atualmente, há inovações em seu processo de fabricação, inclusive a utilização de materiais alternativos, como o caso do shakuhachi de metal, ou então modelos para estudantes feitos com impressora 3D, cano de PVC, resina, madeira, etc.

No Núcleo de Estudos de Shakuhachi nos aprofundamos na tradição do shakuhachi de forma geral, dando luz e importância à sua história, espiritualidade e arte. Porém, com relação à performance do instrumento, nos restringimos a tocar o shakuhachi moderno, amplamente difundido pelo Japão e pelo mundo, e que nos possibilita tocar o repertório de peças meditativas Honkyoku, Gaikyoku, Música Moderna, Brasileira, etc.  

Outros modelos

em construção......

https://www.shakuhachi.com.br/